terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Diário de bordo - Gravações (parte II)



Domingão de sol (dia 13/12), 16 horas, horário de verão. E lá fomos nós – Eu (Renatão) e Gótico – para mais uma sessão de gravações no Estúdio Vox.

A noite anterior havia sido uma noite muito prazerosa. Digna de nota. No Tribo’s Bar, havíamos feito um show bacana (pelo menos, em nossa concepção), ao lado dos camaradas da Betty by Alone e do Hospital Doors, como já anunciado, anteriormente, aqui. Havia sido um show sem maiores problemas. Bebemos, nos divertimos, confraternizamos enfim, ao lado dos camaradas e, isso, pra mim, é o que há de mais valor nessa vida louca de fazer parte de uma banda de rock and roll.

Infelizmente, não pude ficar até o final do show dos caras da Betty by Alone, mas os relatos dos amigos e a história da banda apontam sempre pra uma competência sem igual aqui por essas terras. Coisa fina, enfim.

Já a meninada do Hospital Doors está, a cada dia, mais afinada. Abriram a noite com a energia de sempre. Aquela pegada oitentista e fresca ao mesmo tempo, dançante. Baixão pulsando e bateria marcando o beat com grande pegada.

O público recebia cada acorde com entusiasmo. Uns mais contidos, como eu, apenas balançando a cabeça e batendo o pé no compasso da música. Outros se soltando mais e dançando na pista (Agnaldo, o Guiga, que o diga).

Parabéns, caras! Foi um belo show. Valeu mesmo!

***

Bem... seguindo em frente... noite anterior findada (no entanto, viva na memória), era hora de registrar os baixos nas canções que Josué já havia colocado a parte que lhe coube nesse latifundiário.

No caminho para o estúdio (que fica a duas quadras da minha casa), passei no Disque-Cerveja e peguei um fardo de latões de Itaipava, pra animar o ambiente. Chegando lá, percebi que Gótico também levara cerveja. Logo, a animação estava garantida.

Murilo, naquele sossego inabalável, nos recebeu muito bem, como sempre, e foi logo abrindo a geladeira pra acomodar-mos os latões de Itaipava e, também, as garrafas long neck de Brahma que havíamos trazido.

Cervejinhas já no congelador, abrimos uma cada um e Gótico já foi afinando o baixo pra mandar brasa na primeira canção: “1952”.

Cumprida essa primeira etapa de preparação, era chegada a hora do Gótico registrar o baixo das canções. Foi quando ele começou a tocar que percebemos que seu baixo estava com um problema de captação. As notas tocadas na corda Mi eram captadas em volume mais alto que as tocadas em outras cordas. Foi preciso usar, então, um dos baixos do Murilo. Um SX com captadores Fender que, para nossas pretensões de som, caiu como uma luva.

Na hora de gravar, Gótico não fez diferente de Josué. Mandou uma atrás da outra, sem maiores problemas. Dando espaço, apenas, para as pausas de praxe: trocar uma idéia, beber um pouco mais e fumar um cigarro.

18 horas e já estava tudo lá, registrado como deveria. A cerveja acabou e fomos embora, felizes pela noite anterior e pelo resultado da gravação até então.

Se este que vos fala não pisar no tomate na hora de registrar guitarras e vocais, creio que o disco vai ficar bacana.

Agora, é esperar pra ver.

Logo, logo tem mais. Aguardem as cenas do próximo capítulo de Concertos para a meia idade. Renatão, é chegada a sua hora!

Efusivo abraço aos comparsas de sempre!


Renatão, guitarra e voz.

12 comentários:

Cleriston Teixeira disse...

mas fica frio, pra semana que vem, que é tua vez, guardei mais uns trocados pra encher de novo o congelador do Murilo... descobrimos a fórmula agora, tomar cerveja!!! Pois disto é feito o rock, cerveja, camaradas tocadores de rock, shows, encrencas (claro), mais cerveja, mais rock...

Leonardo disse...

domingo foi 13/12

Andye Iore disse...

Essa fórmula é clássica... sigam firmes aí que tenho certeza que vai sair coisa fina destas gravações... depois é só agendar uns shozinhos pra cobrirmos estes gastos.

Posso penetrar? disse...

É verdade, D2. Estou perdido no tempo. heheheh...

Mas, agora, já arrumei.

Andye, se formos chamados pra tocar na Zombilly novamente, jamais haverá outro furo. Aguarde e confie.

Cleriston Teixeira disse...

Prof Astromar, a banda que promete para 2010: promete num furar mais, gravar o cd, tocar sóbrio, tocar no Lar dos Velhinhos...

Cleriston Teixeira disse...

ahhhh, tocar sóbrio eu num prometo não!!!

Igor Favareto disse...

caras, que massa...tô ansioso pra ver o resultado. abração e mandem bala!!!

Denilson P. disse...

Que massa... quero ouvir essa parada pronta!!! Parabéns pelo rock, cervejas e enfins...
Abraço
Dema-Wolf Attack

Hospital Doors disse...

Que massa caras! Tbm estamos ansiosos aqui para ouvir o resultado final. O murilo se firmando como o estudio das bandas de musica propria eim! Vai ficar um ótimo trabalho, concerteza.

Abraços.

Alexandre Gaioto disse...

Tô curioso pra cacete!
Continue arrebentando a poesia, canalha!

Cleriston Teixeira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cleriston Teixeira disse...

só corrigindo: o canalha na banda sou eu!!!